Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas



Consagre ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos. Provérbios 16:3

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Mães que jogam o filho no lixo

Seja qual for a motivação de tal atitude, por desinformação ou desespero, o advogado Bernardo Campos Carvalho fala sobre o assunto abertamente. Informação e amparo psicológico podem mudar o destino de muitos bebês.
*Por Bernardo Campos Carvalho



Está virando rotina, ao abrirmos o jornal, ligarmos o rádio ou a televisão, nos depararmos com manchetes como estas: “mãe joga seu filho na caçamba de lixo”; “mãe deixa filho recém-nascido no banheiro do bar”; “mãe joga recém-nascido no lixo da pizzaria”; “mulher deixa seu filho na porta de uma casa” e muitos outros casos semelhantes.
O que será que esta acontecendo em nossa sociedade? Enquanto seres humanos cometem essas barbaridades, vemos por outro lado, notícias como “leoa que ataca o macho para proteger filhotes” e “cachorras que salvam seus filhotes à custa da própria vida”.
Abandonar covardemente o filho à própria sorte é crime previsto no artigo 133 do Código Penal e prevê pena de seis meses a três anos de detenção, se o abandono resulta em lesão corporal grave, pena um a cinco anos de reclusão e, se ocorrer o evento morte, pena de quatro a 12 anos de reclusão.
Não conseguimos acreditar que, diferentemente do infanticídio (mulher que mata durante ou logo após o parto), tais fatos possam ser creditados tão somente ao estado puerperal. O abandono pode estar mais ligado ao medo ou à insegurança de não conseguir criar o próprio filho, quer pelo aspecto financeiro, quer pelo aspecto familiar ou moral.
A mulher grávida, mesmo que desamparada ou pressionada pela família (aspecto moral), já não mais precisa entrar em desespero, a ponto de jogar sua prole no lixo, fato que no futuro, lhe causará grandes problemas psicológicos, quase insuperáveis.
Para evitar, basta comparecer a qualquer Fórum, de qualquer cidade do País, procurar a Vara da Infância e dar seu filho à adoção. Além de se constituir em um ato nobre, diferentemente do abandono, será motivo de alegria e grande satisfação para milhares de casais que aguardam ansiosamente uma criança para amar.
Talvez seja este o melhor momento, face às manchetes dos órgãos de Imprensa, da própria sociedade rever a sua posição e, com ajuda da mídia, mudar este estado e passarmos a exigir do governo uma participação efetiva na proteção e orientação dessas mães desamparadas, mostrando as várias alternativas existentes, que não sendo possível a criação, dar uma demonstração de amor, não jogando aquele pequeno ser, carente de amor, no lixo.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

“Somente Deus dá a vida, só Ele tem o direito de tirá-la”

A nossa sociedade está mandando para o ralo dois milhões de fetos por ano. Grande parte dos fetos, quando são tirados, ainda vêm com vida e depois chega uma pessoa e diz: bota num saco plástico e atira lá no lixo! Saem com vida. O bebê ainda vem se mexendo. É vida! Fecundou é vida! Foi Deus que teceu.

A Palavra diz em Salmos 139:14 ao 16: Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem; ...os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda. Ainda era o ovo com gameta, espermatozóide. Deus já havia feito, foi ele que fez. Isto é uma coisa maravilhosa de Deus. A gravidez é uma obra assombrosa. Versículo 16 Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.

Então, Deus disse: para este eu vou dar tantos anos! Aí vai uma pessoa e faz aborto. Eu queria te dizer que a partir da fecundação já há vida. Sete dias depois o sistema nervoso central já está começando a ser formado. Já existe ali uma pessoa. Não é só uma bolinha de sangue. Já existe uma pessoa.

Não matarás, um dos mandamentos de nosso Deus. Êxodo 20:13
“Somente Deus dá a vida, só Ele tem o direito de tirá-la”

Separe alguns minutos e veja este vídeo

O GRITO SILENCIOSO

 

domingo, 21 de setembro de 2014

Os dez mandamentos da mulher de Deus



A mulher de Deus é aquela que um dia aceitou o Senhor Jesus como Salvador, tornou-se uma nova criatura e deseja viver uma vida de dedicação à Obra de Deus.

Por isso, deve ser uma pessoa realmente transformada, cheia do Espírito Santo e obediente à palavra de Deus, que exige dela, dentre outras, as seguintes características:

1) Temer ao Senhor- este temor faz com que ela veja o marido como se fosse o Senhor Jesus, mesmo que ele seja incrédulo, Palavra de Deus diz: “... mas a mulher que teme ao Senhor essa será louvada.” (Provérbios 31.30)

2) Ser sábia – a mulher de Deus é sábia; por isto, fala pouco, ou só mesmo o necessário. Quando a pessoa fala muito é porque é egoísta, e sempre quer impor aos outros as suas idéias e pensamentos. Está escrito: “O que guarda a boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios a si mesmo se arruína.” (Provérbios 13.3).

3) Ser discreta – a mulher de Deus nunca procura chamar a atenção dos outros para si. Seu comportamento é contrário ao das mulheres do mundo; sua fala é suave e seus vestidos são discretos. Seu rosto pode ser maquiado, mas não mascarado; seu cabelo é penteado, mas não de forma exótica. Afinal, dizem às Sagradas Escrituras: “Como jóia de ouro em focinho de porco, assim é a mulher formosa que não tem discrição.” (Provérbios 11.22).

4) Ser virtuosa – a mulher virtuosa é aquela que procura cuidar muito mais do seu coração do que do seu exterior. Tem, como fragrância no seu corpo, a plenitude da presença do Espírito Santo, conforme está escrito: “Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem.” (2 Coríntios 2.15).

5) Ser forte – não se abater diante das dificuldades; pelo contrário, quando os momentos difíceis acontecem, sua determinação de mulher de Deus é realçada: “a força e a dignidade são os seus vestidos, e, quanto ao dia de manhã e, não tem preocupações.” (Provérbios 31.25).

6) Ser de fé – mulher de fé é aquela que vê nas dificuldades apenas novas oportunidades. Como dona-de-casa, sabe fazer do limão ema boa limonada! Estimula a fé do seu marido com palavras de ânimo e coragem: “O coração do seu marido confia nela...” (Provérbios 31.11).

7) Ser trabalhadeira – a mulher de Deus nunca é preguiçosa. Ela tem prazer em cuidar dos afazeres de casa de tal forma, que quando seu marido chega, tudo está em ordem. Ela não espera que os outros façam aquilo que é da sua competência: “É ainda noite, e já se levanta, e dá mantimento á sua casa e a tarefa às suas servas. Atende ao bom andamento da sua casa e não come o pão da preguiça.”

Provérbios 31.15,27

8) Ser fiel – a mulher de Deus não é fiel apenas ao seu marido, mas também à sua igreja. Sua fidelidade se faz transparecer no serviço de Obra de Deus:

“Aconteceu, depois disto andava Jesus de cidade em cidade e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o evangelho do reino de Deus, e os doze iam com ele, e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada madalena, da qual saíram sete demônios; e Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, Suzana e muitas outras, as quais lhe prestavam assistência com os seus bens.” Lucas 8.1-3

9) Ser sensata - a mulher de Deus sabe ser cuidadosa com suas palavras, especialmente quando o seu marido é incrédulo. Os lamentos e as reclamações nunca surtem bom efeito nos ouvidos de quem os ouve. Se é sensata, a mulher sabe como contornar uma situação desagradável, em vez de ficar reclamando todo o tempo.

A Palavra de Deus diz: “a morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto.” (Provérbios 18.21); “O mexeriqueiro descobre o segredo, mas o fiel de espírito o encobre.” (provérbios 11.13).

10) Ter bons olhos – procurar ver as demais pessoas como Deus as vê. É verdade que há pessoas más, e que é difícil vê-las com bons olhos, mas porque a mulher de Deus os seus olhos sempre procurar ver o lado bom de tais pessoas. É melhor ser prejudicado com bons olhos do que alcançar vantagens com maus olhos:

“São os olhos a lâmpadas do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas, portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!” Mateus 6.22,23







sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Direitos da Criança Cristã


1. Direito a não morrer pelos pecados cometidos. Jesus já pagou o preço exigido por Deus (Rm 5.8). 

2. Direito de conhecer o Caminho, a Verdade e a Vida (Jo 14.6). 

3. Direito a ser filho de Deus através de Jesus Cristo (Jo 1.12).

 4. Direito à vida abundante em Cristo (Jo 10.10).

 5. Direito a ter uma armadura completa para defender-se do mal (Ef 6.11). 

6. Direito de orar e receber resposta (Mt 7.8).

 7. Direito de ressuscitar no último dia (1 Ts 4.14). 

8. Direito a um novo nome na Glória (Ap 2.17b).

 9. Direito a pertencer ao corpo de Cristo e atuar como parte importante nele (1Co 12.22). 

10. Direito de receber proteção e cuidado especial para obter um crescimento saudável no conhecimento de Deus