Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas



Consagre ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos. Provérbios 16:3

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Vencendo o Sentimento de Culpa


E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus. Mateus 18:3


Acredito fortemente que imprimir sentimento de culpa na mente e no coração humano, é uma poderosa estratégia de Satanás. Ele sabe que os que são dominados por essas coisas, não raro, deixam de se relacionar com Deus de forma plena. Isso acontece também com cristãos! Alguns já foram tão intensos na comunhão com o Pai, na missão de servir, mas por algum motivo, chegaram a cair e desde então, nunca mais foram os mesmos: o fardo da culpa os reduziu a condição de infelicidade.

Somos “bombardeados” pelo dedo do acusador. Ele sabe atacar nossos pontos fracos, sabe que uma vida envolvida pela culpa pode ser mais facilmente dominada. Mas Deus nos deu o maravilhoso dom da graça e em Cristo Jesus somos agradáveis a Ele:” E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade. Para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado. Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça.”. Efésios 1:5-7.

É claro que devemos nos esforçar e perseverar em fazer a vontade de Deus. Mas se falharmos não seja esse o motivo de permanecermos no chão. O perdão cura dias, meses, anos, vidas inteiras de pecado! Mas o perdão começa em nós. É quando reconhecemos que somos tão falhos quanto qualquer ser humano poderia ser e tão necessitados de Deus que a comunhão é o bem mais precioso a ser preservado. Tem um ditado que diz: “Santo, não é o que nunca se suja, mas o que se lava constantemente”. Esse “lavar” é relacionar-se com Deus, ser sincero com Ele e confessar a culpa na certeza de receber perdão.

Apóstolo Pedro é um exemplo grandioso de fraqueza humana e perdão de Deus. Ele tinha todas as boas intenções possíveis de agradar a Jesus e vendo que se aproximava Sua morte disse-lhe: “Ainda que seja necessário morrer contigo, não te negarei! E todos os discípulos disseram o mesmo” Mt 26:35. Sabemos que Pedro abandonou e negou a Jesus, e esse “fardo” poderia ser motivo de perdição para Pedro. Mas não foi porque Jesus o amou de tal forma que o recolheu novamente em Seus braços para uma vida de liberdade.


No Evangelho de Marcos, quando é relatada a ressurreição de Jesus, lemos que os anjos citaram a Pedro: “ Mas ide, dizei a seus discípulos e a Pedro, que Ele vai adiante de vós para Galileia, ali o verão, como Ele vos disse” Mc 16:7. Pedro deveria estar tão cheio de culpa, infelicidade, se considerando incapaz para exercer o chamado ministerial, que os anjos enfatizam seu nome como a dizer: “Pedro é especial para o Mestre Jesus, digam que Ele o perdoa e o quer com Ele”. É assim que Deus faz conosco, Ele nos quer junto a Ele.

Não raramente ao orar, lembro de quão cruel é um sepultamento: ver uma vida sendo encerrada dentro de um caixão, coberta pelo barro, “Todos são pó e ao pó tornarão” Ec 3: 20. E não haveria Deus de se compadecer de nós sabendo que a vida é um sopro? Em minhas íntimas reflexões cito constantemente o verso do Salmo 115:17; “Os mortos não louvam ao Senhor, nem os que descem ao silêncio”. Por isso, meu Deus me faz louvar em vida. Me mantêm firme em Teus caminhos e se eu pecar me perdoa pois na sepultura, nada mais poderá ser feito.

Deus quer nos abençoar em vida. Enquanto houver vida, haverá louvor. Só há um tipo de ação que a Bíblia cita como imperdoável: o pecado contra O Espírito Santo (Mc 3:29). Ou seja: ser rebelde a voz do Espírito Santo, desprezá-Lo. Somente age contra o Espírito, quem rejeita a graça vinda do sacrifício da cruz que perdoa para uma nova vida, que restaura inteiramente o relacionamento com Deus. Aceite o perdão de Jesus e perdoe àqueles que o maltrataram causando mágoa e sofrimento. Entregue esse fardo a Deus e Ele trará de volta a paz e a alegria ao seu coração.

"Assim como Cristo vos perdoou, perdoai também aos outros" Colossenses 3:13.

Depois que passei a desfrutar do perdão de Deus, não deixo mais a mágoa enraizar em meu coração: "Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo" Efésios 4:26. Jesus nos perdoa e nos capacita a perdoar. Hoje sou mais feliz, inclusive no casamento porque aprendi sobre o valor que tem o perdão na vida a dois. Experimente pedir perdão e também perdoar e se surpreenda com o que Jesus ainda fará.

 Autor: Wilma Rejane

quarta-feira, 22 de maio de 2013

O Antídoto Para a Autopiedade

“Autopiedade é um vácuo em que a gratidão não pode entrar. Na verdade, autopiedade e ação de graças não podem coexistir. Elas são mutuamente excludentes. Embora a ação de graças seja o antídoto para esse veneno, poucos dos acorrentados pela auto-piedade se aventurarão a expressar gratidão por todas as bênçãos que têm”. – William P. Farley, “O Veneno da Autopiedade”





Ação de graças é o antídoto para a auto-piedade.

Autopiedade é uma erva que cresce no jardim das expectativas. Eu espero uma vida fácil. Eu não terei de sofrer. As coisas devem sempre acontecer do meu jeito.


Auto-piedade diz coisas como: Eu não posso acreditar que isso está acontecendo comigo. Eu não mereço isso. Como um Deus de amor poderia fazer isso comigo? Você deve estar brincando. Por que isso tem que acontecer agora?

A autopiedade se esquece de todos os benefícios de Deus. Ela falha em agradecer. Pelo contrário, foca naquilo que não tem. O que ela pensa que deveria ter, mas não tem.

É por isso que seu antídoto é dar graças. Assim, se você está arraigado em autopiedade, ou recentemente tem caído nisso, você pode dar meia-volta.

Comece a agradecer a Deus por qualquer coisa e tudo que puder. Agradeça-o por lhe salvar e perdoar seus pecados. Por te dar a vida eterna. Por te dar seu Espírito Santo. Por lhe adotar na família dele. Por seu amor inabalável que nunca se acaba.

Agradeça-o por suas misericórdias. Por Ele NÃO lhe dar o que você REAMENTE merece – sua condenação e ira. Por ser seu refúgio e força. Por ser um sumo sacerdote compreensivo que sabe o que você está passando e preocupa-se com você nisso. Por qualquer descanso ou alívio de sua dor, pelo dom do sono, por amigos que oram por você e importam-se com você.

Ação de graças é uma batalha. Especialmente quando você não está a fim. É uma batalha contra a autopiedade. É uma batalha de fé.

Ação de graças é o antídoto para a autopiedade.

Escreva isso. Leia a citação acima novamente. Arrume um diário e registre todos os benefícios de Deus. Agradeça a Deus por quantas coisas puder a cada dia – sua comida, sua visão, audição, tato e paladar. Por qualquer provisão que Deus fornece.

Agradeça a Deus por Ele estar usando seu sofrimento para fazê-lo semelhante a Cristo, para produzir perseverança, caráter e esperança. E agradeça a Jesus porque um dia ele enxugará toda lágria dos seus olhos.

Assim, se você se pegar perguntando por que isso está acontecendo comigo, segure-se, chacoalhe a si mesmo e comece a oferecer um sacrifício de gratidão. Você descobrirá que a alegria começará a gotejar de volta à sua alma.

| Autor: Mark Altrogge | | Tradutor: Josaías Jr |

segunda-feira, 20 de maio de 2013

“Tudo o que o homem plantar, certamente colherá”.


Como sementes que cai na beira da estrada e podem germinar da mesma forma coisas boas podem produzir coisas boas através de nossas decisões, mas também, como poeira de uma estrada, a partícula dos momentos ruins pode se apegar a mim e me induzir a tomar atalhos para ver se de alguma forma alcanço mais rápido e mais fácil e da maneira como acho que deve ser e esse é problema.

E um grave risco. Nem tudo o que penso é verdadeiro e justo. Devo me afastar de qualquer pensamento egoísta que me induza os atalhos da ganância e da sede do poder pelo poder, apenas para satisfazer ambições pessoais.

O Egoísmo pode se tornar o meu guia e sentimentos ruins como o desejo de conseguir a felicidade da forma como idealizo por causa do ego primitivo que pode me levar a uma situação extrema de ambição sem aprender os verdadeiros princípios do amor que devem ser regidos pelo altruísmo no meu eu divino.

Preciso compreender que o arrependimento é uma decisão de minha vontade e que eu preciso ter uma experiência de conversão, para que não tome atalho que possam me levar a situações equivocadas e a chegar num determinado ponto de minha vida tenha voltar à estaca zero, mas ai pode ser tarde demais, pois uma semente ruim foi plantada e evidentemente a lei da semeadura se cumprirá. Jesus disse “Tudo o que o homem plantar, certamente colherá”.

Que Deus me de sabedoria do alto e que eu possa viver meus momentos motivados pelo amor Dele em minha vida.